segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Núcleo de Educação Ambiental da Semed/Rio Largo promove mostra de trabalhos desenvolvidos nas escolas do município

Adnilson Malta
Conscientização ecológica e criatividade marcam a abertura da Mostra de Educação Ambiental realizada pela Semed/Rio Largo na última quinta-feira (21). A Mostra teve como objetivo socializar com a comunidade os trabalhos de educação ambiental desenvolvidos pelas escolas e realizar a avaliação dos projetos de acordo com a linha de pesquisa proposta pelo Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva. 

O evento foi realizado na praça São Benedito no Centro de Rio Largo e contou com a apresentação de trabalhos de 22 escolas do município, sendo três estaduais e 18 municipais. Os trabalhos foram avaliados por uma comissão formada pelos professores Edilson Marinho e Dilma Calheiros, representando a Secretaria de Educação de RioLargo, Nayane Ellen Gomes, estudante do Curso de Educação Ambiental da CEAP/UNOPAR, Welington Gomes, secretário de educação do município de Chã Preta, e pela coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental da Semed/Rio Largo, Eliene de Araújo.

Além da exposição dos trabalhos, como o conhecido parque de diversões feito com material reciclado criado por Marcio Augusto, aluno da Escola Evanda Carneiro, a Mostra contou ainda com apresentações de coco de roda, paródias, desfile com roupas feitas de material reciclado entre outras atrações.

Segundo a professora Eliene de Araújo, o evento visa despertar na comunidade escolar e na sociedade em geral o compromisso com questões ambientais que estão presentes no dia a dia da população. “Diante das novas preocupações do mundo e dos acontecimentos referentes às mudanças climáticas se faz necessário um planejamento de ensino com ações que possam contribuir para mudar os hábitos das pessoas, estimulando a conscientização e a preservação do meio ambiente”, afirmou.

A Mostra contou com o apoio e a participação da Coordenadora da Educação Ambiental do Instituto Lagoa Viva, Josileide Gomes Santos, do Técnico do Instituto Lagoa Viva, Alexandre dos Santos, da coordenadora do Elo da Educação Ambiental da 12ª CE, Izabel Cristina de Oliveira, e de representantes da Semed/Rio Largo (secretário de educação, técnicos, diretores e professores) que contribuíram no apoio logístico e na organização do evento.

O secretário de educação de Rio Largo, Hélvio Soares, salientou a importância da contribuição do Programa Lagoa Viva para a educação ambiental no município e no Estado e confirmou que “a prefeitura de Rio Largo, por meio da secretaria de educação, cutinuará dando total apoio às ações que tenham por objetivo minimizar a degradação dos ecossistemas da nossa região”.

A coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental informou ainda que a próxima avaliação acontecerá no VIII Congresso de Educação Ambiental que será realizado nos dias 13, 14 e 15 de dezembro no Centro de Convenções (Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso), em Maceió.

O Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva é uma iniciativa da Braskem em parceria com a Secretaria de Educação do Estado de Alagoas e com as comunidades que habitam as áreas ao redor do complexo estuarino-lagunar Mundaú-Manguaba, em Alagoas.

video
Marcio Augusto, aluno da Escola Evanda Carneiro, apresenta aos colegas o seu parque feito com material reciclado. Todo processo de criação é feito pelo próprio Márcio, que aprendeu a soldar e a fazer pequenas instalações elétricas com seu pai. O aluno recebeu apoio da prefeitura de Rio Largo para participar de conferências no Estado e já exibiu seu trabalho em eventos como o SBPC Mirim, realizado em novembro de 2009 em Maragogi, e a Conferência Estadual Nordeste de Ciência, Tecnologia e Inovação, que aconteceu em abril de 2010 no Centro de Convenções de Maceió.
Paródias, coco de roda, apresentações teatrais e desfiles com roupas feitas de material reciclado foram algumas das atrações da Mostra.
Eliene Araújo(E), coordenadora do Núcleo de Educação Ambiental da Semed/Rio Largo, e Hélvio Soares, secretário de educação, posam para foto com representantes do Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Projeto impulsiona atividades de educação inclusiva nas escolas do município

Adnilson Malta
A Secretaria de Educação de Rio Largo realizou na última segunda-feira (20) evento que marcou a culminância do projeto de educação inclusiva “NA MINHA ESCOLA TODO MUNDO É IGUAL”. O projeto, desenvolvido pela coordenadora de educação especial da Semed/Rio Largo, professora Neuma Bezerra, busca infundir entre alunos, educadores, pais e comunidade escolar valores positivos referentes à inclusão de pessoas deficientes no convívio social por meio de uma pedagogia centrada no respeito às diferenças.

Segundo Neuma Bezerra, durante os trinta dias de realização do projeto foram desenvolvidas várias atividades com estudantes, professores e coordenadores de educação das escolas municipais que atendem alunos do 1º ao 5º ano. Os trabalhos foram iniciados no dia 23 de agosto com uma reunião para repassar aos coordenadores as orientações e informações gerais sobre o projeto. “Do dia 24 de agosto ao dia 15 de setembro os professores e coordenadores das escolas, supervisionados pela Secretaria de Educação, realizaram a preparação dos alunos com a aplicação de metodologias de inclusão nas atividades realizadas em sala de aula”, salientou.

Como resultado dos trabalhos, os alunos com idades entre 6 e 12 anos criaram desenhos referentes ao tema do projeto. Foram selecionados oito trabalhos de cada escola para participar do 1º Concurso de Desenhos sobre Educação Inclusiva. Os trabalhos foram analisados por uma comissão julgadora de acordo com critérios como criatividade, originalidade e apropriação e referência ao tema. Três trabalhos receberam brindes como incentivo pela participação.

O evento contou com a presença de representantes da Semed, de alunos e professores das escolas da Rede Municipal contempladas com o projeto e do coral Carlos Gomes, da Escola de Cegos Ciro Accioly.

De acordo com o último Censo Escolar, Rio Largo possui atualmente cerca de 160 alunos portadores de deficiência matriculados nas escolas de ensino regular no município. A coordenadora de educação especial acredita que esse número pode aumentar depois de concluída a avaliação que está sendo realizada em parceria com a Secretaria de Saúde de Rio Largo.
A coordenadora de ensino da Semed/Rio Largo, professora Silvia Jeanne, elogiou a iniciativa do projeto e ressaltou a intenção do Secretário Hélvio Soares de “realizar capacitações periódicas na área de educação inclusiva para professores da Rede Municipal de Ensino”.
Comissão julgadora seleciona os três desenhos premiados durante o evento.
Waleska dos Santos, aluna da Escola Antonio Lins de Souza, recebe da chefe de gabinete da Semed/Rio Largo, Elionalda Lins, o prêmio de incentivo pela sua participação no 1º Concurso de Desenhos sobre Educação Inclusiva.
A coordenadora do setor pedagógico da Semed/Rio Largo, Silvânia Maria, fala sobre a importância da promoção da educação inclusiva no município. Ao lado, Neuma dos Santos Bezerra, técnica responsável pelo projeto "Na minha escola todo mundo é igual".
Alunos e professores falam das experiências adquiridas com a realização do projeto.
Apresentação do coral Carlos Gomes, da Escola de Cegos Ciro Accioly.

sábado, 4 de setembro de 2010

Palestra aborda importância da atuação do Conselho Municipal de Educação

Adnilson Malta (MTE/AL - 926)
O Conselho de Educação de Rio Largo promoveu na última sexta-feira, 03, uma palestra sobre a importância da atuação do Conselho local nas políticas públicas dirigidas à educação municipal. A palestra foi ministrada pela presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Estadual de Educação, conselheira Bárbara Heliodora Costa e Silva.

Bárbara Heliodora falou, entre outros assuntos, da responsabilidade dos conselheiros com o comportamento ético e político e de seu poder de influência na gestão pública local por meio da fiscalização e da intervenção na elaboração de orçamentos voltados às políticas públicas de educação. “A função do colegiado está diretamente ligada ao controle social das políticas públicas de educação e essa capacitação nos permite esclarecer conselheiros, poder público e sociedade de forma geral sobre suas competências, direitos e atribuições”, salientou.

A atual presidente do Conselho Municipal de Educação, Elionalda Lins, informou que serão realizadas outras capacitações com a participação da comunidade escolar e de conselheiros com o objetivo de discutir a participação do colegiado na fiscalização da aplicação dos recursos dirigidos à educação municipal. “O Conselho tem pouco mais de um ano de atuação aqui em Rio Largo, por isso entedemos que essas capicitações servirão para esclarecer as dúvdas que possam surgir com relação às nossas atribuições”.

O Conselho de Educação é um órgão colegiado com atribuições deliberativas, consultivas, fiscalizadora e de assessoramento e tem, entre outras, a competência de assegurar a ampla participação da sociedade no aperfeiçoamento da educação.

Além dos membros do colegiado, o evento contou com a participação de diretores de escolas, representantes da sociedade civil organizada e do poder público municipal.

O Secretário de Educação de Rio Largo, Helvio Soares, afirmou durante o encontro que a consolidação do Conselho Municipal de Educação traz contribuições significativas não só para a educação mas para a comunidade em geral. Hélvio disse ainda que, mesmo com as dificuldades enfrentadas por causa da enchente deste ano, a prefeitura tem se empenhado para solucionar os problemas mais emergentes da melhor forma possível e aproveitou para comunicar que o processo de licitação para reconstrução das escolas já está em andamento.“Fomos informados hoje que, das cinco primeiras escolas que serão reconstruídas no Estado, uma será em Rio Largo”.
Hélvio Soares participou da palestra organizada pelo Conselho Municipal de Educação e anunciou que o processo de licitação para reconstrução das escolas destruídas pela enchente já está em andamento. “Até o fim do ano teremos pelo menos uma escola reconstruída em nosso município”, confirmou.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Secretário apresenta plano de emergência para retorno das atividades das escolas destruídas

Adnilson Malta (MTE/AL - 926)
Cerca de 500 pessoas compareceram à reunião que aconteceu na tarde de terça-feira (6) na Igreja Matriz da Imaculada Conceição, no centro de Rio Largo. O encontro teve o objetivo de apresentar aos professores, diretores e pais de alunos as estratégias que serão adotadas para dar continuidade ao ano letivo 2010 nas escolas mais afetadas pela enchente do dia 19 de junho.

O Secretário de Educação Hélvio Soares comunicou que os alunos dessas escolas serão remanejados para espaços adequados afim de não prejudicar o calendário escolar deste ano. “A prefeitura de Rio Largo, por meio da secretaria de educação, está disponibilizando transporte para que todos os alunos, diretores, professores e demais funcionários das escolas atingidas se desloquem com segurança até os locais onde serão ministradas as aulas nesse período”, confirmou.

Segundo o relatório de danos, elaborado por técnicos da Semed Rio Largo, pelo menos seis escolas sofreram prejuízos considerados graves, e destas, duas tiveram perda total do prédio e do patrimônio. O relatório constata ainda que o número de alunos matriculados nas seis escolas atingidas pode chegar a 1.700.

Maria José da Conceição, mãe de dois alunos da Escola Rosineide Tereza, disse que estava apreensiva com a situação em que se encontra a escola de seus filhos, mas que, diante das informações repassadas pelo secretário, acredita que eles vão concluir o ano letivo. “Eu estava preocupada porque a escola ficou completamente destruída, mas depois desses esclarecimentos fiquei mais tranquila”.

Além das informações repassadas, Hélvio Soares agradeceu a participação ativa dos técnicos da secretaria de educação na elaboração do plano e ao pronto atendimento do prefeito Toniho Lins na busca de soluções para os problemas enfrentados. “Desde o início do mandato o prefeito tem priorizado as ações voltadas à educação pública do município e agora, diante da situação inusitada que estamos vivendo, essas ações tendem a se intensificar ainda mais”, concluiu.

As aulas para os alunos das escolas destruídas pela enchente reiniciam na quarta-feira (14). A secretaria de educação montou um cronograma de horários de saída dos ônibus de pontos estratégicos para facilitar o acesso dos usuários.
Hélvio Soares: "O remanejamento dos alunos é uma medida emergencial necessária para que o calendário escolar não seja prejudicado".
Secretário de educação e diretora da Escola Gustavo Paiva conversam com mãe de aluno após a reunião.
Maria José, mãe de dois alunos da Escola Rosineide Tereza, concorda que as decisões tomadas pela prefeitura, por meio da secretaria de educação, "vão contribuir para resolver, mesmo que temporariamente, a situação dos alunos das escolas destruídas pela enchente".

domingo, 4 de julho de 2010

Escolas que não foram afetadas pela enchente retomam atividades na terça-feira (06)

Adnilson Malta (MTE/AL - 926)
Em nota publicada na sexta-feira a Secretaria de Educação de Rio Largo informa à comunidade escolar que as aulas recomeçam na próxima terça-feira, dia 06 de julho, para todas as escolas que não sofreram prejuízos com a enchente e que não estão ocupadas com desabrigados.

A publicação da nota coincidiu com a divulgação de um levantamento detalhado dos danos causados pela enchente às escolas do município e aos prédios públicos utilizados pela Secretaria de Educação.

O relatório elaborado por técnicos da Semed Rio Largo e enviado à Secretaria de Educação do Estado, será encaminhado ao MEC e servirá como base para o início do processo de reconstrução das escolas do município.

De acordo com o documento, pelo menos seis escolas sofreram danos considerados graves. As escolas Alfredo Oiticica, localizada na Fazenda Riachão, e Gustavo Paiva, na Cachoeira, tiveram perda total do prédio e patrimônio.

Edimilson Marinho, diretor administrativo da Semed Rio Largo e um dos responsáveis pela elaboração do relatório, informou também que algumas escolas estão localizadas em regiões consideradas áreas de risco e, por isso, não poderão ser reconstruídas no mesmo local.

O levantamento constatou ainda que, das 34 escolas municipais de Rio Largo, seis estão em situação considerada crítica, com perda total ou parcial do prédio e patrimônio, três estão servindo de sede para a prefeitura, defesa civil e secretaria de educação, e oito estão ocupadas com desabrigados.
O relatório geral de danos aponta, entre outras coisas, que seis escolas municipais tiveram perda total e/ou parcial do prédio e patrimônio e oito estão ocupadas com desabrigados.


domingo, 27 de junho de 2010

MEC vai ajudar a reconstruir escolas atingidas pelas enchentes

Adnilson Malta
Em matéria publicada na quinta-feira (24) no portal Agência Brasil o Ministério da Educação anunciou que irá ajudar na reconstrução das escolas e creches que foram destruídas pelas chuvas em Pernambuco e Alagoas.

Os Secretários de Educação dos dois Estados já se reuniram com o Secretário Executivo do MEC, Paulo Henrique Paim, para discutir as ações. Inicialmente estão previstos R$ 51 milhões apenas para a reconstrução das unidades estaduais, mas esse valor deve aumentar quando houver um diagnóstico da situação das escolas municipais.

Visita do presidente Lula reacende as esperanças da população
O Presidente Lula chegou a Rio Largo na última quinta-feira (24) por volta das 15h, depois de percorrer alguns municípios de Alagoas e Pernambuco, acompanhado dos governadores dos dois estados, de seis ministros e de técnicos que vieram avaliar a real situação dos municípios afetados pelas enchentes.

Durante a visita a Rio Largo o Presidente caminhou pelas ruas da cidade e viu de perto a destruição provocada pela enchente do Rio Mundaú no centro e na Ilha Angelita. Em seguida visitou a Escola Evanda Carneiro, onde cerca de 80 famílias estão alojadas, ouviu reivindicações dos desabrigados e garantiu que a população não ficará desassistida.

“Estamos aqui para fazer um levantamento das áreas atingidas para que possamos reconstruir as escolas, casas e disponibilizar linhas de crédito para reconstruir o comércio com a responsabilidade que a situação exige”, afirmou.

Presidente Lula assiste vídeo com imagens da destruição causada pelas enchentes.

Shirley Jane, Adriano Severo e Teovânio Clementino foram escolhidos para falar em nome dos desabrigados.
Lula compara enchentes no Nordeste a terremoto do Haiti.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Enchente em Rio Largo: Secretário de Educação convoca reunião extraordinária para definir estratégias de atuação

Adnilson Malta
Na reunião realizada na última quarta-feira (23), Helvio Soares divulgou um balanço parcial da situação das escolas do município e definiu, juntamente com a equipe da Semed, as estratégias que serão adotadas nesse período de crise.

O secretário informou que várias escolas estão em situação crítica, sem a mínima condição de funcionamento, e as que não foram danificadas estão abrigando as vítimas da enchente. O prédio da Secretaria de Educação está entre as 1260 casas, 25 prédios públicos e dezenas de estabelecimentos comerciais que foram destruídos. “Só teremos condições de saber a real situação desses prédios depois de uma avaliação de especialistas, enquanto isso a secretaria funcionará na Escola Antônio Lins de Souza até providenciarmos outro local”.

O prefeito Toninho Lins divulgou, na segunda-feira (21), uma nota comunicando a antecipação do recesso nas escolas municipais e determinando que todas as escolas, mesmo as que não sofreram danos, suspendam as aulas até segunda ordem.

Nove escolas municipais estão servindo de abrigo para as vítimas das enchentes em Rio Largo. Segundo José Júlio, diretor da Escola Municipal Evanda Carneiro, localizada na parte alta da cidade, a escola tem recebido desabrigados desde sábado (19) e no último levantamento feito ontem (24) já abrigava cerca de 80 famílias.
Bairro Gustavo Paiva, na Cachoeira. Um dos mais afetados pela enchente de sábado.
Escola Gustavo Paiva totalmente destruída.
Escola Rosineide Tereza, no Centro.
Escola Armando Silva, na avenida Jarbas Januário, Centro.
Sala de aula da Escola Marechal Deodoro, na praça Humaitá.
Avenida Jarbas Januário, Centro. Região onde se concentra boa parte dos prédios públicos de Rio Largo, entre eles a sede da prefeitura, a secretaria de educação, duas escolas e a Biblioteca Municipal. Várias residências e estabelecimentos comerciais também foram destruídos nessa área.